18 de janeiro de 2010

O SOBRETUDO

Sobretudo o silêncio com gola de astracã
o sorriso entretela o sonho assertoado
sobretudo o peludo que se põe de manhã
e à noite é escovado.
Sobretudo o chumaço da cultura nos ombros
e a fazenda inglesa de meia estação.
Sobretudo o cuidado que ao despi-lo pomos
em estarmos vestidos como os outros são.

José Carlos Ary dos Santos

com a devida vénia, de OBRA POÉTICA, edições Avante!, Julho de 1999

Sem comentários:

Enviar um comentário