6 de janeiro de 2010

CEMITÉRIO DO PRADO DO REPOUSO

Passeias por entre os jazigos
de mármore e de granito

polido. Embora prefiras os
cemitérios relvados procuras

em plena cidade aquele silêncio
que só existe no fundo das

grutas nunca antes visitadas
por humanos. A esse silêncio te

abandonas entorpecido pelo
cheiro das beladonas.

Jorge Sousa Braga

com a devida vénia, de PORTO DE ABRIGO, Assírio & Alvim, Lisboa, Novembro de 2005

1 comentário: