9 de abril de 2011

simbiose

as palavras germinam música
a música depura o silêncio

o silêncio é um cristal
envolvendo a respiração do tempo

as palavras ardendo
evaporam o acre perfume
da raiz

a música subindo
faz explodir as corolas
do sublime

e o tempo dobra-se
como o último a saber
os signos do som

a ler toda a página
lavrada de sulcos e selos
seminais

Cláudio Lima

com a devida vénia, de ITINERÂNCIAS, Edição Opera Omnia, Guimarães, Outubro de 2010

Sem comentários:

Enviar um comentário