15 de fevereiro de 2010

INFINITO SILÊNCIO

          houve
                  (há)
um enorme silêncio
anterior ao nascimento das estrelas

      antes da luz

      a matéria da matéria

de onde tudo vem incessante e onde
             tudo se apaga
             eternamente

esse silêncio
          grita sob nossa vida
          e de ponta a ponta
          a atravessa
                           estridente

Ferreira Gullar

com a devida vénia, de Obra Poética, Quasi Edições, Outubro de 2003

1 comentário:

  1. Caro Domingos,

    Lindo! Eu e o meu amor por Ferreira Gullar!
    Grato por compartilhar tal preciosidade!


    Grande abraço,
    Adriano Nunes.

    ResponderEliminar