7 de fevereiro de 2010

"ESTALACTITE - XXI"

esta poeira
lenta
hesita em regressar
ao chão
[o poema
sonha ainda
o arquétipo
do voo],
mas cai
e localiza
na cal
o ponto morto
que propaga
o silêncio

Carlos de Oliveira

com a devida vénia, de MICROPAISAGEM, Publicações Dom Quixote, Porto, Setembro de 1969

1 comentário:

  1. "Poeira lenta' que 'cai' assim ou de outra forma, é o que se chama por aí de 'coisa de poeta'. Lindo!

    beijo,
    El

    ResponderEliminar