12 de setembro de 2009

SILÊNCIO

Conheço uma cidade
que cada dia se enche de sol
e tudo desaparece num momento


Cheguei lá quase à noite


No coração durava o ruído
das cigarras


Do navio
envernizado de branco
eu vi
a minha cidade perder-se
deixando
um pouco
um abraço de lumes no ar indeciso
suspensos




Giuseppe Ungaretti


com a devida vénia, de Sentimento do Tempo, Publicações D. Quixote, Fevereiro de 1971

2 comentários:

  1. Desde mis BLOGS:

    --- HORAS ROTAS ---

    y

    --- AULA DE PAZ ----

    quiero presentarme

    en esta nueva apertura

    del eminente otoño.

    Tiempo que aprovecho

    ahora para desear

    un feliz reingreso en

    la actividad diaria.

    Así como INVITAROS

    a mis BLOGS:

    --- HORAS ROTAS ---

    y

    --- AULA DE PAZ ----

    con el deseo de que

    estos sean del agrado

    personal.

    Momentos para compartir

    con un fuerte abrazo de

    emociones, imaginación y

    paz. Abiertos a la comunicación

    siempre.


    afectuosamente :
    CASCATA DE SILENCIO








    --- TE SIGO TU BLOG :

    CASCATA DE SILENCIO ---














    jose

    ramon…

    ResponderEliminar
  2. Caro Jose Ramon Santana Vazquez,

    Agradeco-lhe a visita, o comentário e o acompanhamento dos meus blogues Cascata de Silêncio, e Ao Rés do Nada.
    As melhores saudações,

    Domingos da Mota

    ResponderEliminar