6 de julho de 2011

QUEM SE EU GRITAR...?

Fecho-me aqui:
um blog é uma estratosfera,
é uma maneira de não pertencer a nenhum mundo,
é uma forma mais de estar sozinho.

É certo que é suposto partilhar:
mas é como se uma mónada do Leibniz
lançasse palavras numa rede de ausências,
para o silêncio das esferas.

Nunca adiamos a solidão!

Luís Filipe Castro Mendes

com a devida vénia, de Lendas da Índia, Publicações Dom Quixote, Lisboa, Junho de 2011

3 comentários:

  1. nunca adiamos a solidão ... é bem verdade ... pq nunca tiramos férias de nós próprios!!!!

    ResponderEliminar
  2. Caro Ozias Filho,

    Excelente a sua leitura do poema.
    Obrigado.

    ResponderEliminar
  3. "Nunca adiamos a solidão"... mas será que a queremos adiar tendo por companhia as palavras?

    ResponderEliminar