14 de agosto de 2010

Han Shan - na Tradução de António Graça Abreu - "156"

Habito a montanha,
ninguém me conhece.
Entre nuvens brancas,
o silêncio, sempre o silêncio.


Han Shan


com a devida vénia, de DiVersos, Poesia e Tradução: N.º15 - Junho de 2009, Edições Sempre-em-Pé

Sem comentários:

Enviar um comentário